Este website usa cookies para melhorar a navegação dos nossos utilizadores. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Fechar ou Saber Mais
Temos 25 visitantes online, total de visitas: 122.692

Tradições

Em Barão de São João realiza-se anualmente a Festa de São João em honra de São João Baptista, orago desta freguesia. Narra a história que São João Baptista, filho de Zacarias e de Santa Isabel, nascido a 24 de Junho, foi parente de Jesus e precursor de Messias. A Igreja celebra o nascimento e a pregação de João Baptista desde os primeiros séculos do Cristianismo. O nascimento de São João Baptista é celebrado pelo povo cristão através de cantos, danças folclóricas, fogueiras e quermesses. Em Barão de São João, a Festa em honra do padroeiro realiza-se no Centro Cultural entre os dias 20 e 25 de Junho e tem a duração de dois a quatro dias.

No que respeita às Feiras, realiza-se no quarto Domingo de cada mês, no parque junto ao Polidesportivo de Barão de São João, a Feira das Velharias, feira essa que consiste na venda de artigos em segunda mão, artesanato e artigos diversos.
Também realizada no Centro Cultural de Barão de São João, no fim de semana da Páscoa, a Feira do Folar que consiste na venda de folares e bolos tradicionais.

Relativamente às danças e cantares típicos de Barão de São João destacam-se: as Rodas, compostas por pares mistos que dançavam ao som do acordeão e cantavam versos dedicados à freguesia de Barão de São João- “Barão, terra bendita...”. As Rodas realizavam-se na época do Carnaval, durante os anos 40 e 50 (século XX); no Domingo Gordo e no Entrudo dançavam nos Largos existentes na aldeia e na Quarta-feira de Cinzas, como era tradição as pessoas irem passear à Mata neste dia, as Rodas eram feitas nesse local. Ainda no que se refere a estes elementos culturais, a destacar o papel do Rancho Folclórico infantil de Barão de São João, que apesar de ter existido na década de 80 no século XX, exerceu uma importante função na divulgação das tradições locais. Este grupo era  composto por pares mistos, que ao som da música de acordeão, ferrinhos, vozes femininas e vozes masculinas, executavam danças de outros tempos. Os fatos dos elementos masculinos eram compostos por calças, colete, chapéu e sapatos pretos, camisa branca e cinta vermelha. Quanto aos fatos dos elementos femininos eram compostos por meias brancas, sapatos castanhos, chapéu preto, saiote branco, camisa às bolinhas e saia com barras a contrastar.

Relativamente aos Jogos Tradicionais salientam-se: o Jogo do Pião, o Berlinde, a Malha, o Pálito e o Burro. De seguida, passaremos a descrever cada um destes jogos.

Jogo do Pião

Este jogo, essencialmente praticado por rapazes, serve-se de materiais como o pião de madeira e um cordão. Após a envoltura do pião com o cordão, a partir do bico, o pião é lançado ao chão com a finalidade de o colocar a girar durante o maior tempo possível.

Jogo do Berlinde

Neste jogo eram utilizados berlindes de vidro adquiridos nas lojas, bem como berlindes em pedra fabricados manualmente pelos próprios jogadores que utilizavam um martelo e pedra branca, eram trabalhados até adquirirem forma redonda e em seguida polidos numa cova feita em pedra, com a ajuda de uma cana onde era introduzido o berlinde, estes iam sendo friccionados com as mãos e água até ficarem completamente lisos. Jogava-se num terreiro de terra batida com uma cova feita no chão. Os jogadores eram sorteados sendo atirados todos os berlindes para junto da cova e aquele que ficasse mais próximo seria o primeiro a jogar. O jogo tem 24 pontos que são obtidos da seguinte forma: dois pontos de cada vez que acertam na cova e um ponto ao acertar nos berlindes dos adversários. Se um jogador tiver completado 23 pontos e acertar na cova passa para 18 pontos. Os jogadores que vão completando 24 pontos vão saindo sucessivamente, o último perde o jogo.

Jogo da Malha

É jogado com peças de pedra ou ferro com cerca de 15 cm de diâmetro às quais se dá o nome de malha. Cada jogador usa duas malhas. Pode ser jogado em parceria ou individualmente. Era jogado num terreiro de terra batida sendo colocado um pino ou (bicho) a uma distância de 15 a 20 metros. O acerto no pino vale 2 pontos e o ponto (atribuído a quem ficasse mais próximo do local do bicho) valia 1 ponto. O jogo é de 24 pontos.

Jogo do Pálito

Este jogo realizava-se nas tabernas onde era colocada uma tábua fixa no chão com cerca de 40 x 20 cm. No centro da tábua ficava o pino ou bicho, os patacos eram chapas de metal (ferro) com cerca de 3 a 4 cm de diâmetro. Cada jogador usava 2 patacos. Este jogo podia ser realizado em parceria ou individualmente. O derrube do bicho valia 2 pontos e o ponto (atribuído a quem colocasse o pataco mais próximo do local do bicho) valia 1 ponto. Podiam ser feitas jogadas de 12 ou 24 pontos.

Jogo do Burro

Utilizava-se uma caixa de madeira com uma ranhura com cerca de 5 a 6 cm x 1 a 1,5 cm de boca. Cada jogador jogava com cinco patacos a uma distância de 3 metros. A caixa de madeira era marcada com 12 quadrados onde eram inscritas as palavras e números BURRO-2OO-BONECA-100-90-80-70-60-50-40-30-20, respectivamente. Quando o pataco entrava na ranhura marcava 500 pontos, acertando na palavra BONECA eram perdidos todos os pontos da jogada e acertando na palavra BURRO eram perdidos todos os pontos acumulados durante o jogo.